• CICTS
  • Tutela de Disciplinas

Detalhe da disciplina

Nome: Patologia Clínica dos Animais de Companhia
Código: 1064MVT
UC: 12
Ano lectivo:

Ficha para o curso: Medicina Veterinária

Língua de ensino

pt

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

Dotar o aluno dos conhecimentos necessários sobre a etiologia, fisiopatogenia, sintomatologia e diagnóstico das diversas entidades nosológicas abordadas, de forma a que este possa elaborar diagnósticos diferenciais, estabelecer um diagnóstico, definir a terapêutica a instituir bem como o prognóstico e profilaxia adequada. Permitir desenvolvimento do raciocínio clínico através da apresentação de casos clínicos, reais (no âmbito do Serviço de Consulta Externa e Internamento de Animais de Companhia) ou fictícios. Promover, mediante a sua utilização directa, a familiarização dos discentes com os diferentes meios de diagnóstico complementar mais frequentemente utilizados, bem como com a recolha e manipulação de amostras.

Conteúdos programáticos

– DERMATOLOGIA: 1. Estrutura e funções da pele e pelagem. 1.1. Ciclo folicular; mecanismos de protecção da pele. 1.2. Flora habitual e transiente. 1.3. Lesões primárias e secundárias. 1.4. Abordagem clínica e meios auxiliares de diagnóstico (revisão). 2. Infecção bacteriana da pele – piodermatite. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 2.1.Piodermatite de superfície – Dermatite piotraumática. 2.2.Piodermatite de superfície – Intertrigo. 2.3. Piodermatite superficial - Impetigo. 2.4. Piodermatite superficial - Foliculite. 2.5. Piodermatite profunda – Furunculose. 2.6. Piodermatite profunda – Piodermatite interdigital. 2.7. Celulite e abcessos. 3. Sarna demodéxica enquanto diagnóstico diferencial (breve revisão). 4. Sarna sarcóptica enquanto diagnóstico diferencial (breve revisão). 5. Dermatofitose enquanto diagnóstico diferencial ( breve revisão). 6. Doenças alérgicas – fisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 6.1. Dermatite alérgica à picada de pulga. 6.2. Atopia. 6.3. Hipersensibilidade alimentar. 6.4. Dermatite por contacto. 7. Doenças autoimunes – fisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 7.1. Pênfigo foliáceo. 7.2. Pênfigo eritematoso discóide. 7.3. Lupus eritematoso sistémico 8. O complexo do granuloma eosinofílico – fisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 8.1. Placa eosinofílica 8.2. Granuloma linear. 8.3. Úlcera indolente. 9. Outras dermatopatologias – fisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 9.1. Dermatite acral por lambedura. 9.2. Celulite juvenil. 9.3. Dermatite responsiva a zinco 10. Endocrinopatias com manifestações cutâneas. Lesões características. 10.1. Hipotiroidismo. 10.2. Hiperadrenocorticismo. 10.3. Deficiências de Hormona de Crescimento. 10.4. Diabetes mellitus. 10.5. Hiperestrogenismo e hiperandrogenismo. 11. Otite – fisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 11.1. Otite externa: factores primários, predisponentes e perpetuantes. 11.2. Otite média e otite interna. I – O APARELHO URINÁRIO: 1. Introdução ao Aparelho Urinário. 2. O Rim 2.1. Breve referência às características anatómicas. 2.2. Breve referência à normal fisiologia do rim: 2.2.1. Funções desempenhadas; 2.2.2. Mecanismos e sua regulação: a filtração glomerular e a função tubular. 2.3. Definição de azotémia, azotémia pré-renal, azotémia renal, azotémia pós-renal, urémia e insuficiência renal. 2.4. A abordagem clínica (revisão). 2.4.1. História pregressa; 2.4.2. Exame clínico; 2.4.3. Exames complementares: 2.4.3.1. Avaliação da Função Glomerular: ureia e creatinina séricas, depuração da creatinina, clearance de radioisótopos, proteinúria. 2.4.3.2. Avaliação da Função Tubular: gravidade específica da urina e teste de privação de água. 2.4.3.3. Análise de urina de rotina: propriedades físicas e químicas, exame de sedimento. 2.4.3.4. O recurso à microbiologia, imagiologia e biópsia renal. 3. Etiologia e fisiopatogenia; factores de risco; sinais clínicos; plano diagnóstico; tratamento; prognóstico em: 3.1 Insuficiência Renal Aguda. 3.2 Insuficiência Renal Crónica. 3.3.Glomerulonefrite. 3.4 Amiloidose. 4. Trato Urinário: Introdução. Breve referência às características anatómicas nas espécies canina e felina, em ambos os géneros. Controle neurológico. 4.1. Definição de estrangúria, disúria, polaquiúria. Obstrução uretral, incontinência urinária, hematúria, piúria. 4.2. Métodos usados no diagnóstico. 4.3 Introdução, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e controlo da sua eficácia, prognóstico em: 4.3.1 Infecção do trato urinário inferior (I.T.U.), Infecções recorrentes e seu tratamento. 4.3.2 Urolitíase no cão. 4.3.3 Síndrome Urológico Felino (FUS). 4.3.4 Neoplasia do tracto urinário 4.3.5 Incompetência esfíncter uretral. 4.3.6 Trauma 4.3.7 I.T.U. por fungos. 4.3.8 Cistite polipoide. 4.3.9 Parasitismo. 4.3.10 Prolapso uretral. III – APARELHO DIGESTIVO 1- Cavidade oral – introdução: referência à normal anatomia e fisiologia da preensão e deglutição. 1.1. Estomatite: definição. 1.2. Classificação segundo localização das lesões: glossite, queilite, palatite, gengivite... 1.3. A importância do diagnóstico diferencial: 1.3.1. Imunosupressão: FelV e FIV, neutropénia, corticoesteroides (síndrome de Cushing, corticoterapia), oncoquimioterapia. 1.3.2. Cáusticos: ácidos, fenóis, soda caústica. 1.3.3. Corpos estranhos. 1.3.4. Vírus: calívirus, herpesvírus, vírus da esgana canina. 1.3.5. Queimaduras térmicas e eléctricas. 1.3.6. Urémia 1.3.7. Diabetes mellitus. 1.3.8. Doenças autoimunes. 1.3.9. Fungos e leveduras: Candida albicans. 1.3.10. Plantas. 1.4. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 1.4.1 Estomatite necrosante ulcerativa. 1.4.2 Gengivite – estomatite – faringite linfocítica plasmocitária. 1.4.3 Hiperplasia da gengiva. 1.4.4 Lábio leporino e fenda palatina. 1.4.5 Retenção de dentes decíduos. 1.4.6 Periodontite, abcesso periodontal (breve revisão). 1.4.7 Fibropapilomatose oral (breve referência) 1.4.8 Neoplasias mais frequentes. 1.4.9 Alterações das glândulas salivares: mucocélio e sialoadenite. 1.4.10 Amigdalite e faringite. 2 Disfagia. Definição. Definição de regurgitação, odinofagia, acalasia, ptialismo e sialorreia. 2.1 A importância do diagnóstico diferencial. 2.1.1 Alterações estruturais: trauma - fractura mandibular e/ ou maxilar, luxação articulação temporo-mandibular. Laceração ou tumefacção tecidos moles. Corpos estranhos. Neoplasia. Gengivite ou estomatite. Úlcera indolente felina. Mucocélio salivar. Sialoadenite. Pólipos. 2.1.2 Alterações neurológicas e da junção neuro-muscular: déficits nervos pares craneanos (V, VII, IX, X, XI, XII), lesão medular ao nível do centro de deglutição, miastenia gravis, miosite (miosite dos masséteres), botulismo... 2.2 Etiofisiopatogenia. Sinais clínicos. Diagnóstico.Prognóstico. 3. Esófago – breve referência à anatomia e fisiologia.Meios de diagnóstico laboratoriais, radiográficos e a esofagoscopia. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 3.1. Corpo estranho 3.2. Megaesófago idiopático e secundário. Anomalias dos anéis vasculares (breve revisão). 3.3. Esofagite; esofagite por refluxo. 3.4. Estenose esofágica. 3.5. Obstrução extra-luminal. 3.6. Neoplasia, hérnia do hiato, divertículo, fístula, desvio. 4. Estômago – referência à anatomia e fisiologia. Processos agudos vs. processos crónicos. Meios de diagnóstico laboratoriais, radiográficos, ultrasonográficos; gastroscopia e histopatologia. Causas de gastrite: erros alimentares, fármacos anti-inflamatórios não-esteróides, corticoesteróides, diminuição suprimento vascular da mucosa gástrica, insuficiência renal, hepatopatias crónicas, refluxo gastroduodenal, infecção bacteriana. Fisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 4.1 Gastrite aguda. 4.2 Gastrite crónica. 4.3 Úlcera gástrica. 4.4 Corpo estranho. 4.5 Gastropatia Crónica Hipertrófica Pilórica. 4.6 Gastrite eosinofílica. 4.7 Neoplasias gástricas mais frequentes 5. Intestino delgado – anatomia e fisiologia (digestão, absorção, motilidade, imunidade e microflora). História pregressa, exame clínico, analítica sanguínea, exame coprológico, exame radiológico, endoscopia, biópsia. 5.1 Diarreia aguda – diagnóstico diferencial; distinção de processos auto-limitantes e processos que põem em risco a vida do paciente e que obrigam a abordagem terapêutica agressiva. Diarreia crónica. Erros alimentares. Parasitismo. Infecções bacterianas (ex. Salmonella, Campilobacter, Clostridium perfrigens) e víricas (Coronavirus canino e felino, parvovirus canino e felino, esgana, enterite associada a FeLV e FIV). Fármacos. 5.2 Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 5.2.1 Gastroenterite hemorrágica. 5.2.2 Enterocolite linfocítica plasmocítica (“Inflamatory bowel disease”) 5.2.3 Enterocolite eosinofílica (IBD) 5.2.4 Sobrecrescimento bacteriano. 5.2.5 Linfangiectasia. 5.2.6 Enteropatia imunoproliferativa perdedora de proteína dos Basenji 5.2.7 Neoplasias: adenocarcinoma, linfossarcoma. 6. Intestino Grosso – anatomia e fisiologia. História pregressa, exame clínico, analítica sanguínea, exame coprológico, exame radiológico, colonoscopia, biópsia. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 6.1 Síndrome do cólon irritável. 6.2 Diarreia de intestino grosso responsiva a fibra 6.3 Enterotoxicose – Clostridium perfringens 6.4 Colite histiocítica ulcerativa dos Boxers 6.5 Megacólon. 6.6 Colite linfocítica plasmocítica e colite eosinofílica. 7 Pâncreas exócrino – anatomia e fisiologia. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 7.1. Pancreatite aguda e crónica no Cão. 7.2 Pancreatite no Gato – 7.3 Insuficiência pancreática exócrina. 7.4 Neoplasias. 8. Fígado e vias biliares – anatomia e fisiologia. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 8.1 Encefalopatia hepática. 8.2 Hepatite e necrose hepatocitária. 8.3 Shunts porto-sistémicos. 8.4 Lipidose hepática. 8.5 Hepatite crónica activa. 8.6 Colangite e colangiohepatite. 8.7 Hepatopatia por esteróides. 8.8 Hepatotoxicidade por drogas. 8.9 Abcessos hepáticos. 8.10 Síndrome hepatocutâneo. 8.11 Hepatite associada ao cobre. IV – APARELHO RESPIRATÓRIO 1. Aparelho respiratório – anatomia e fisiologia. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 1.1 Rinosinusite vírica felina. 1.2 Infecção por Chlamydia. 1.3 Rinosinusite bacteriana crónica 1.4 Fístula oronasal. 1.5 Infecção por Aspergillus e Penicillium. 1.6 Criptococose. 1.7 Pólipos nasofaríngeos. 1.8 Rinite alérgica. 1.9 Neoplasias mais frequentes nas fossas nasais. 1.10 Traqueíte não infecciosa. 1.11 Traqueobronquite infecciosa canina. 1.12 Síndrome braquiocefálico: hipoplasia da traqueia. 1.13 Bronquite crónica. 1.14 Doença bronquial felina ou asma felina. 1.15 Pneumonia por aspiração e pneumonia bacteriana. 1.16 Pneumonite por infecção oculta por Dirofilaria immitis e forma granulomatosa. 1.17 Neoplasias. 1.18 Afecções do espaço pleural e mediastínico: hemotorax, pneumotorax. Efusão pleural: transudado, transudado modificado, exsudado. Piotórax. Quilotórax. O linfossarcoma mediastínico associado a FeLV. V – ENDOCRINOPATIAS E DOENÇAS METABÓLICAS 1 Hipófise – anatomia e fisiologia. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 1.1 Polidipsia psicogénica. 1.2 Diabetes insipidus central e nefrogénica. 1.3 Enanismo hipofisário. 1.4 Acromegália canina e felina. 1.5 Neoplasias hipofisárias. 2 Glândula adrenal – anatomia e fisiologia. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 2.1 Hiperadrenocorticismo canino. 2.2 Hipoadrenocorticismo canino. 2.3 Breve menção ao hiperadrenocorticismo e hipoadrenocorticismo felino. 3 Glândula tiróide – anatomia e fisiologia. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 3.1 Hipotiroidismo canino. 3.2 Hipertiroidismo felino. 3.3 Neoplasia da tiróide. 3.4 Breve menção ao hipotiroidismo felino e hipertiroidismo canino. 4 O pâncreas endócrino - anatomia e fisiologia. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 4.1 Diabetes Mellitus. 4.2 Hipoglicémia juvenil transitória. 4.3 Hipoglicémia do cão de caça. 4.4 Insulinomas. 5 A glândula paratiroide - anatomia e fisiologia. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 5.1 Hiperparatiroidismo primário. 5.2 Hipoparatiroidismo primário. 5.3 Intoxicação por vitamina D. 6 Doenças do metabolismo dos lípidos. 6.1 Hiperlipidémia idiopática canina. 6.2 Hiperlipidémia familiar felina. VI – NEUROLOGIA e MIOLOGIA 1 Cérebro - anatomia e fisiologia. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 1.1 Epilepsia primária. 1.2 Hidrocéflo congénito. 1.3 Meningoencefalite granulomatosa. 1.4 Toxinas com acção sobre o Sistema Nervoso Central. 1.5 Encefalopatia isquémica felina. 1.6 Menigoencefalite por protozoários, bactérias, fungos e riquétsias. 2 Pares craneanos - anatomia e fisiologia. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 2.1 Neurite do nervo óptico. 2.2 Síndrome de Horner. 2.3 Neurite do N. Trigémio. 2.4 Paralisia idiopática do N. Facial. 2.5 Síndrome vestibular idiopático. 3 Medula espinal - anatomia e fisiologia. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 3.1 Mielopatia degenerativa 3.2 Meningite responsiva a esteróides. 3.3 Discoespondilite. 4 Nervos periféricos, junção neuromuscular e músculos - fisiologia. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 4.1 Poliradiculoneurite aguda. 4.2 Paralisia por neurotoxinas (ixodídeos). 4.3 Miastenia gravis. 4.4 Poplineuropatias adquiridas. 4.5 Miosite dos masséteres. 4.6 Butolismo. 4.7 Polimiosite. VII – HEMATOLOGIA 1 Eritrócitos; anemia e policitémia. Fisiopatogenia, diagnóstico, tratamento e prognóstico. 1.1 Anemia hemolítica imunomediada. 2 Alterações da hemostase. Fisiopatogenia, diagnóstico, tratamento e prognóstico. 2.1 Trombocitopenia imunomediada. 2.2 Coagulopatia por deficiência em vitamina K 2.3 Coagulação intravascular disseminada. 2.4 Doença de Von Willebrand. 2.5 Disfunção vascular e vasculite. 2.6 Disfunção plaquetária. VIII – CARDIOLOGIA 1 O coração – anatomia e fisiologia. Abordagem clínica, diagnóstico: electrocardiografia, radiografia e ecocardiografia. Tratamento e prognóstico em 1.1 Distúrbios do ritmo cardíaco. 1.2 Endocardiose da válvula mitral. 1.3 Endocardiose da válvula tricúspide. 1.4 Endocardite bacteriana. 1.5 Cardiomiopatia hipertrófica. 1.6 Cardiomiopatia restritiva felina. 1.7 Cardiomiopatia dilatada em cães. 1.8 Cardiopatias congénitas. 1.9 Efusão pericárdica. 1.10 Defeitos pericárdicos congénitos. IX – ONCOLOGIA 1 Abordagem clínica ao paciente oncológico. 2 Diagnóstico citológico em oncologia. 3 Síndromes paraneoplásicos mais comuns. 4 Principais agentes quimioterápicos e cuidados na sua aplicação. 5 Efeitos secundários da quimioterapia. 6 Noções de quimioterapia em gatos. 7 Avaliação e tratamento da dor. 8 Neoplasias mais frequentes e protocolos de tratamento. 8.1 Linfoma. 8.2 Tumor venéreo transmissível. 8.3 Mastocitoma. 8.4 Doenças mieloproliferativas. 8.5 Sarcomas. X – OFTALMOLOGIA 1 Oftalmologia – introdução. Anatomia e fisiologia. Etiofisiopatogenia, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 1.1 Pálpebras: blefarite bacteriana, alérgica ou parasitária. 1.2 Conjuntiva: conjuntivite infecciosa, imunomediada e iatrogénica. 1.3 Córnea: dermóide; microcórnea; membrana pupilar persistente; colobomas; distrofia corneal; degenerescência do estroma; distrofia e degenerescência endotelial; úlcera da córnea; queratite superficial crónica; queratite eosinofílica felina; melanose felina. 1.4 Esclera: inflamação; transtornos proliferativos. 1.5 Cristalino: catarata; luxação do cristalino. 1.6 Úvea: uveíte anterior. 1.7 Glaucoma. 1.8 Retina, coróide e nervo óptico: doenças congénitas e adquiridas. Atrofia progressiva da retina e degenerescência adquirida súbita da retina. Corioretinite.Patologia retinovascular e descolamento da retina. Papiledema e neurite óptica. 1.9 Aparelho nasolacrimal: queratoconjuntivite seca, epífora. 1.10 Neuroftalmolagia. XI – URGÊNCIAS TOXICOLÓGICAS 1 Abordagem clínica, diagnóstico, tratamento de prognóstico de intoxicação por: 1.1 Acetominofeno. 1.2 Reacções alérgicas agudas. 1.3 Amitraz. 1.4 Dicumarínicos e indandionas. 1.5 Arseniacais. 1.6 Ácido acetilsalicílico. 1.7 Colecalciferol. 1.8 Enemas fosfatados. 1.9 Alcalis. 1.10 Ivermectina. 1.11 Organofosfatados e carbamatos. 1.12 Piretrinas e piretroides. 1.13 Estricnina. XII – PATOLOGIA E CLÍNICA DOS ANIMAIS EXÓTICOS 1. Noções essenciais sobre o maneio correcto para a espécie: psitacídeos, roedores, répteis e furões. Contenção física e química adequada. Profilaxia. 2. Técnicas de diagnóstico. Colheita de amostras. 3. Abordagem sucinta às patologias infecciosas, parasitárias. Afecções mais frequentes nestas espécies: etiologia, diagnóstico, tratamento e prognóstico: 3.1 Dermatologia. 3.2 Aparelho respiratório. 3.3 Aparelho digestivo. 3.4 Aparelho reprodutor. 3.5 Aparelho urinário. 3.6 Neurologia.

Bibliografia principal

Small Animal Internal Medicine. Nelson, R.W. and Couto, C.G., Ed. Mosby, 3rd ed., 2003; Textbook of Veterinary Internal Medicine. Ettinger S.J. and Feldman E.C., Vols 1 and 2. Ed. W.B Saunders Company, 5th ed., 2000; Practical Small Animal Internal Medicine. Leib, M.S., Monroe, W.E. W.B Saunders Company, 1997; BSAVA’ s Manual of Gastroenterology., Edward J. Hall, James W. Simpson, David A. Williams, BSAVA’s Edition, 2nd ed., 2005 FOX, P., SISSON, D., MOISE, S. (1999): Textbook of Canine and Feline Cardiology, 2nd Edition, Saunders. BSAVA’ s Manual of Endocrinology., Carmel Mooney, Mark Peterson, BSAVA’s Edition, 3rd ed., 2004; BSAVA’ s Manual of Small Animal Ophthalmology, Simon Petersen-Jones and Shelia Crispin, BSAVA’s Edition, 2nd ed., 2002 ; BSAVA’ s Manual of Exotic Pets, Anna Meredith and Sharon Redrobe, BSAVA’s Edition, 4th ed., 2002 .

Métodos de avaliação

A avaliação da disciplina será efectuada em quatro frequências a realizar nas seguintes datas: 13 de Novembro de 2006, 26 de Fevereiro, 19 de Abril e 24 de Maio de 2007. A parcial mínima é de dez valores. O exame em época normal será a 28 de Junho e o exame de recurso a 9 de Julho de 2007. É ainda obrigatória a assistência a 50 (cinquenta) consultas externas de Animais de Companhia realizadas no Hospital Veterinário da Universidade de Évora (devidamente comprovada em folha própria, em anexo, e da qual constará a espécie e nome do animal, nome do proprietário, área da Clínica Médica versada na consulta e assinatura do clínico responsável). Deste total de consultas, apenas 25 poderão ser de Medicina Preventiva. O comprovativo de assistência deverá ser entregue até ao final da 1ª quinzena de Junho. Constituirá ainda matéria de avaliação um trabalho de revisão, individual, que não excederá quatro páginas (a 1,5 espaços, letra Arial ou Times New Roman, tamanho mínimo 11), sobre um caso clínico que tenham acompanhado. A informação contínua (assiduidade, interesse e desempenho) constituirá também matéria de

Métodos de ensino

Contacto directo com casos clínicos reais. Discussão de casos clínicos reais e ficitícios de forma a atingir os objectivos constantes do programa da disciplina. Aulas expositivas no decuros das quais são apresentados os fundamentos teóricos, ilustrados com casos clínicos.

Acompanhamento e atendimento dos alunos

Quarta-feira, 16.00 - 18.00 h Quinta feira, 11.00 - 13.00 h e 16.00 - 18.00 h

Serviço Docente

2007/2008

Curso: Medicina Veterinária (código: 102)

2006/2007

Curso: Medicina Veterinária (código: 102)

2005/2006

Curso: Medicina Veterinária (código: 102)

2004/2005

Curso: Medicina Veterinária (código: 102)

2003/2004

Curso: Medicina Veterinária (código: 102)

Sumários

Ano Lectivo:
Curso: Medicina Veterinária

Aulas Teóricas

Aula: 1 - Turma: A - ht
21/09/2006
Apresentação.Introdução ao programa e objectivos da disciplina. Regulamento de funcionamento da disciplina.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 2 - Turma: A - ht
28/09/2006
1. Estrutura e funções da pele e pelagem: 1.1. Ciclo folicular; mecanismos de protecção da pele. 1.2. Flora habitual e transiente. 1.3. Lesões primárias e secundárias. 1.4. Abordagem clínica e meios auxiliares de diagnóstico (revisão). 2. Infecção bacteriana da pele – piodermatite. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: 2.1.Piodermatite de superfície – Dermatite piotraumática. 2.2.Piodermatite de superfície – Intertrigo. 2.3. Piodermatite superficial – Impetigo. 2.4. Piodermatite superficial – Foliculite. 2.5. Piodermatite profunda – Furunculose. 2.6. Piodermatite profunda – Piodermatite interdigital. 2.7. Celulite e abcessos. 3. Sarna demodéxica enquanto diagnóstico diferencial (breve revisão). 4. Sarna sarcóptica enquanto diagnóstico diferencial (breve revisão). 5. Dermatofitose enquanto diagnóstico diferencial (breve revisão).
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 3 - Turma: A - ht
12/10/2006
Dermatologia - continuação Fisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico: * Dermatite alérgica à picada da pulga * Atopia * Alergia e Intolerância alimentar * Dermatite de contacto * Complexo do granuloma eosinofílico felino o Úlcera indolente o Placa eosinofílica o Granuloma linear
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 4 - Turma: A - ht
19/10/2006
Dermatologia - conclusão. Fisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico: * Doenças autoimunes: o Pênfigo foliáceo o Lúpus eritematoso discóide o Lúpus eritematoso sistémico o Breve menção a outras patologias auto-imunes; síndrome uveodermatológico, complexo do pênfigo * Referência de o Vitiligo o Lentigo o Celulite Juvenil * Manifestações Cutâneas de Endocrinopatias: lesões características e abordagem diagnóstica: o Hiperadrenocorticismo canino o Hipotiroidismo canino o Diabetes Mellitus o Dermatoses por hormonas sexuais
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 5 - Turma: A - ht
26/10/2006
Aparelho Urinário - 1 O rim. Breve introdução à anatomia, fisiologia, história pregressa, exame clínico, exames complementares - indicações, contraindicações, especificidade e sensibilidade: (BUN e creatinina séricas, clearance da creatinina, proteinúria e creatinúria, medicina nuclear - avaliação da taxa de filtração glomerular), (densidade urinária e teste de privação de água - avaliação da função tubular), microbiologia, imagiologia e biópsia renal. Etiofisiopatogenia e factores de risco, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em insuficiência renal aguda.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 6 - Turma: A - ht
02/11/2006
Aparelho Urinário II e III. Tratamento de algumas das causas primárias da insuficiência renal aguda: leptospirose, pielonefrite, intoxicação por etilenoglicol. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em insuficiência renal crónica. Glomerulonefrite e amiloidose renal. Trato urinário inferior: fisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico (exames complementares) e tratamento em: * Infecção do trato urinário inferior * Urolitíase canina e felina * Síndrome urológico felino * Referência abreviada a: o Neoplasias (carcinoma das células de transição) o Uréter ectópico o Incontinência urinária em cadela
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 7 - Turma: A - ht
09/11/2006
Cavidade oral: * Doença periodontal no cão: lesões e sinais característicos, menção da fisiopatogenia,factores de risco, tratamento. * Complexo estomatite-gengivite crónica no gato: lesões e sinais característicos, menção da fisiopatogenia. Papel do calicivírus, herpes vírus felino 1, Bartonella henselae, níveis de IgA salivares, IgA, IgM e IgG séricos , FiV e FeLV. Tratamento médico e cirúrgico. * Neoplasias mais frequentes da cavidade oral.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 8 - Turma: A - ht
16/11/2007
O esófago: breve introdução à anatomia, fisiologia; peristaltismo primário e secundário. Etiofisiopatogenia, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: * esofagite; * megaesófago primário e secundário; * refluxo gastroesofágico; * acalásia e calásia; * neoplasias esofágicas; * estenose esofágica.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 9 - Turma: A - ht
23/11/2006
O estômago: breve introdução à anatomia, fisiologia. distinção entre vómito agudo e crónico e diagnósticos diferenciais. Etiofisiopatogenia, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: * gastrite aguda; * úlcera gástrica; * gastropatia crónica hipertrófica; * gastrite eosinofílica e linfocítica-plasmocitária; * gastrite crónica associada a Helicobacter sp.; * neoplasias gástricas. Revisão dos principais grupos e princípios activos utilizados.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 10 - Turma: A - ht
30/11/2006
O intestino delgado: breve introdução à anatomia, fisiologia. Distinção entre diarreia aguda/crónica e de intestino delgado/grosso. Exames complementares de diagnóstico. Etiofisiopatogenia, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: * gastroenterite hemorrágica idiopática; * doença inflamatória intestinal; enterite linfocítica-plasmocitária e eosinofílica.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 11 - Turma: A - ht
07/12/2006
O intestino delgado (conclusão).Etiofisiopatogenia, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: * enteropatia dos Basenji; * linfangiectasia; * neoplasias. O intestino grosso: etiofisiopatogenia, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: * síndrome do cólon irritável; * colite responsiva a fibra; * colite histiocítica ulcerativa dos Boxers; * megacólon. Revisão dos principais grupos e princípios activos utilizados.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 12 - Turma: a - ht
14/12/2006
O pâncreas: breve introdução à anatomia, fisiologia. Mecanismos de protecção contra a autodigestão. Etiofisiopatogenia, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: * pancreatite aguda e crónica (cão e gato); * insuficiência pancreática exócrina (cão e gato).
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 13 - Turma: A - ht
04/01/2007
O fígado - breve revisão da anatomia e fisiologia; abordagem semiótica - provas de função e lesão. Etiofisiopatogenia, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: * encefalopatia hepática; * hepatite e necrose.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 14 - Turma: A - ht
11/01/2007
O fígado e vias biliares- continuação. Etiofisiopatogenia, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: * shunt porto-sistémico (congénito e adquirido); * hepatite crónica activa; * colangite e colangiohepatite; * breve referência: neoplasias primárias e secundárias do fígado e vias biliares; síndrome hepatocutâneo.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 15 - Turma: A - ht
22/02/2007
O aparelho respiratório - etiofisiopatogenia, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: * afecções das fossas nasais: o rinosinusite vírica felina e rinosinusite bacteriana crónica; o infecção por Aspergillus e Penicillium (breve referência); o Criptococose felina (breve referência); o neoplasias. * afecções da traqueia: o traqueíte não infecciosa; o traqueobronquite infecciosa canina; o breve referência: colapso, estenose e hipoplasia de traqueia. * bronquite crónica canina; * doença bronquial felina (asma felina); * pneumonia por aspiração. * apresentação breve de alguns casos clínicos.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 16 - Turma: A - ht
01/03/2007
Endocrinologia. Breve introdução à anatomia e fisiologia da hipófise e glândulas adrenais. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: * enanismo hipofisário * acromegália e gigantismo * diabetes insipidus central e nefrogénica; diagnóstico diferencial com polidipsia psicogénica * hiperadrenocorticismo. Foi dado especial relevo aos testes específicos da função hipofisária e adrenal, bem como a outros testes de função endócrina necessários para estabelecimento do diagnóstico.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 17 - Turma: A - ht
15/03/2007
Endocrinologia. Breve introdução à anatomia e fisiologia da hipófise e glândulas adrenais. Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: * enanismo hipofisário * acromegália e gigantismo * diabetes insipidus central e nefrogénica; diagnóstico diferencial com polidipsia psicogénica * hiperadrenocorticismo. Foi dado especial relevo aos testes específicos da função hipofisária e adrenal, bem como a outros testes de função endócrina necessários para estabelecimento do diagnóstico.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 18 - Turma: A - ht
21/03/2007
Breve revisão da anatomia e fisiologia da glândula tiróide. Etiofisiopatogenia, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: o hipoadrenocorticismo canino; o hipotiroidismo canino; o hipertiroidismo felino.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 19 - Turma: A - ht
22/03/2007
Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: * diabetes mellitus canina; * diabetes mellitus felina. A crise cetoacidótica: fisiopatogenia, diagnóstico, sinais clínicos, tratamento e prognóstico.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 20 - Turma: A - ht
12/04/2007
Etiofisiopatogenia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: * otite externa; * otite média; * otite interna. Factores predisponentes, perpetuantes e primários.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 21 - Turma: A - ht
19/04/2007
Realização da 3ª frequência.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 22 - Turma: A - ht
26/04/2007
* Oftalmologia. Breve referência à anatomia. Produção e drenagem do humor aquoso. Córnea: referência à película pré-corneal e à estrutura da córnea. Sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: o úlcera da córnea; o sequestro corneal; o queratoconjuntivite seca; o uevíte; o sinéquias; hifema; o Glaucoma.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 23 - Turma: A - ht
03/05/2007
Abordagem clínica, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: * paracetamol; * reacções alérgicas agudas; * amitraz * dicumarínicos e indandionas; * colicalciferol; * ivermectina; * organofosfatados; * piretrinas e carbamatos; * paraquat; * etilenoglicol.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 24 - Turma: A - ht
16/05/2007
Anemia: definição. Anemia não regenerativa, semi-regenerativa e regenerativa: etiologia, sinais clínicos, dagnósticos. Interpretação do esfregaço sanguíneo e do hemograma completo. Anemia hemolítica imuno-mediada: etiologia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico. Policitemia ou eritrocitose primária e secundária (fisiologicamente adaptada, ou não). Diagnóstico, tratamento e prognóstico.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 25 - Turma: A - ht
17/05/2007
Neutrofilia e neutropenia: diagnósticos diferenciais, abordagem diagnóstica e tratamento. Trombocitopenia: causas. Trombocitopenia imunomediada: diagnóstico, sinais clínicos, tratamento e prognóstico. Hemostase: fase primária e secundária. Distúrbios hemostáticos; sinais clínicos, diagnóstico e tratamento de algumas afecções. Transfusão sanguínea nas espécies canina e felina. Sistemas sanguíneos em ambas as espécies.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 26 - Turma: A - ht
18/05/2007
Exame neurológico completo. Sua interpretação. Exercícios práticos de localização de lesões. Neurologia: afecção do cérebro, tronco cerebral, espinal medula e nervos periféricos. algumas patologias neuromusculares. Etiologia, sinais clínicos, diagnóstico, tratamento e prognóstico em: epilepsia primária, meningoencefalite granulomatosa, meningiute responsiva a esteróides, embolismo fibrocartilaginosos, discoespondilite, polirradiculoneurite, miastenia gravis, polimiosite, miosite dos músculos mastigatórios.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 27 - Turma: A - ht
24/05/2007
Realização da 4ª frequência.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 28 - Turma: A - ht
14/06/2007
Doença degenerativa valvular: fisiopatogenia, diagnóstico e maneio terapêutico. Prognóstico. Principais fármacos utilizados no maneio do paciente cardiopata canino: indicações e contra-indicações. Cardiomiopatia dilatada e cardiomiopatia hipertrófica: etiofisiopatogenia, diagnóstico e maneio terapêutico. Prognóstico. Afecções pericárdicas.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)

Aulas Práticas

Aula: 1 - Turma: 1,2,3 - hp
27/09/2006
Revisão da condução da anamnese e realização do exame físico completo. Discussão e execução dos principais exames complementares de diagnóstico utilizados em Dermatologia.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 2 - Turma: 1,2,3 - hp
11/10/2006
Apresentação de casos clínicos de dermatologia (formato digital). Discussão da anamnese e história pregressa, estabelecimento dos diagnósticos diferenciais, processo de diagnóstico (exames complementares), diagnóstico definitivo, terapêutica com elaboração de prescrição. Prognóstico.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 3 - Turma: 1,2,3 - hp
18/10/2006
Acompanhamento de um caso clínico de um cão com gastroenterite hemorrágica por parvovírus: discussão da anamnese, abordagem diagnóstica e do tratamento instituído (fluidoterapia, selecção da antibioterapia, dos antieméticos e protectores gástricos). Apresentação de casos clínicos de dermatologia (formato digital). Discussão da anamnese e história pregressa, estabelecimento dos diagnósticos diferenciais, processo de diagnóstico (exames complementares), diagnóstico definitivo, terapêutica com elaboração de prescrição. Prognóstico.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 4 - Turma: 1,2,3 - hp
25/10/2006
Apresentação de casos clínicos de dermatologia (formato digital). Discussão da anamnese e história pregressa, estabelecimento dos diagnósticos diferenciais, processo de diagnóstico (exames complementares), diagnóstico definitivo, tratamento. Prognóstico.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 5 - Turma: 1,2,3 - hp
08/11/2006
Apresentação e discussão de casos clínicos de aparelho urinário: Resultados do exame clínico e exames complementares (hematologia, bioquímica sérica, urianálise II, urocultura e imagiologia - ecografia e radiologia). Diagnósticos diferenciais, diagnóstico definitivo e tratamento em: * Neoplasia do apéx da bexiga (cão) * Urolitíase (cão) * Infecção trato urinário inferior (gata) * Síndrome urológico felino idiopático * Rim poliquístico (gata) * Uretér ectópico, pielonefrite e hidronefrose em cadela. * Urolitíase
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 6 - Turma: 1,2,3 - hp
15/11/2006
Correcção da primeira frequência, com discussão dos temas abordados na mesma e dos objectivos que se pretendiam atingir. Acompanhamento e discussão de um caso clínico de hiperplasia vaginal em cadela. observação da citologia vaginal (pró-estro). Abordagem a algumas urgências em aparelho urinário: hemorragia, lesão renal traumática, obstrução urinária, ruptura de bexiga, uretra e ureter. Diagnóstico. Descrição da técnica de algaliação no cão e no gato; desobstrução por retropropulsão. (Turno 9-11)
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 7 - Turma: 1,2,3 - hp
15/11/2006
Apresentação e discussão de diversos casos clínicos, documentados em termos laboratoriais e imagiológicos: * megacólon secundário a neoplasia ovárica (cadela); * metástases pulmonares de tumores mamários em cadela (dois casos); * insuficiência cardíaca direita devido a dirofilariose; * fractura de esterno em gato. Acompanhamento de caso clínico de gastrite crónica em cão. Discussão dos diagnósticos diferenciais. Instituição do tratamento específico e de suporte. realização de Rx abdominal.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 8 - Turma: 1,2,3 - hp
06/12/2006
Acompanhamento de casos clínicos: * icterícia de origem pré-hepática em gata: realização de ecografia abdominal, colheita de sangue para hematologia e bioquímica e observação de esfregaço sanguíneo. Discussão dos diagnósticos diferenciais e da abordagem semiótica de icterícia em gato. Mycoplasma haemophelis
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 9 - Turma: 1,2,3 - hp
13/12/2006
Acompanhamento de diversos casos clínicos e sua discussão: * corpo estranho intestinal radiotransparente em cão (caroço de pêssego); * suspeita de giardiose em gata; * lesões dermatológicas em cão; realização de tricograma, raspagem, tira adesiva e punção ganglionar.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 10 - Turma: 1,2,3 - hp
20/12/2006
Acompanhamento de diversos casos clínicos e sua discussão: * politraumatizado (cão); * intoxicação por paracetamol (cão); * queratoconjuntivite seca em cão associada a atopia ou alergia alimentar; * profilaxia (cão);
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 11 - Turma: 1,2,3 - hp
03/01/2007
Apresentação e discussão de casos clínicos: * dilatação esofágica, divertículo esofágico e esofagite(cão); * dilatação esofágica secundária a 4º arco aórtico direito persistente (cão); * compressão esofágica extraluminal por linfossarcoma mediastínico (gato); * corpo estranho esofágico, perfuração esofágica e mediastenite (cão); * enterite linfocítica-plasmocitária (cão); * insuficiência pancreática exócrina (cão); * adenocarcinoma gástrico (cão).
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 12 - Turma: 3 - hp
22/02/2006
Não foi possível leccionar a aula devido à ausência de qualquer aluno.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 13 - Turma: 1,2,3 - hp
28/02/2007
Realização de consulta a pombo-correio motivada por alteração da voz. Discussão dos diagnósticos diferenciais. Realização da anamnese, exame clínico, zaragatoa de papo e pesquisa de tricomonas (que foram observados no exame a fresco). Anestesia geral por inalação e execução de lavagem traqueal para posterior cultivo fúngico e bacteriano; realização de exame radiográfico. Colheita de sangue com observação de esfregaço sanguíneo.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 14 - Turma: 1,2,3 - hp
14/03/2007
Acompanhamento de caso clínico de poliúria/polidipsia em cadela de 12 anos de idade. Discussão dos diagnósticos diferenciais e dos exames complementares a realizar.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 15 - Turma: 1,2 - hp
12/04/2007
Tipos de insulina existentes no mercado. Sua adequação às espécies canina e felina. Princípios básicos a seguir na insulinoterapia. A elaboração de curvas de glicemia. procedimentos a observar. Definição de nadir. Examplos práticos de diferentes curvas de glicemia. Discussão da adequação da insulinoterapia a cada caso e das manobras de correcção. Efeito de Somogyi. Hemoglobina glicosilada e frutosamina.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 15 - Turma: 3 - hp
21/03/2007
Tipos de insulina existentes no mercado. Sua adequação às espécies canina e felina. Princípios básicos a seguir na insulinoterapia. A elaboração de curvas de glicemia. procedimentos a observar. Definição de nadir. Examplos práticos de diferentes curvas de glicemia. Discussão da adequação da insulinoterapia a cada caso e das manobras de correcção. Efeito de Somogyi. Hemoglobina glicosilada e frutosamina.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 16 - Turma: 1,2,3 - hp
21/03/2007
Abordagem clínica a gato persa com dez anos de idade e com alopécia na face externa do pavilhão auricular e face interna da coxa. Discussão dos diagnósticos diferenciais. execução e observação de tricograma, citologia por aposição, citologia por fita adesiva, raspagem profunda. Discussão dos resultados dos exames complementares referentes ao caso clínico da aula prática anterior.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 16 - Turma: 3 - hp
22/03/2007
Discussão e apresentação de casos clínicos: * PU/PD em cadela. * Hipotiroidismo canino; discussão de dois casos clínicos; discussão dos testes específicos de função tiroidea, tratamento a instituir e sua monitorização. Exemplo prático de acompanhamento ao longo de quatro anos.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 17 - Turma: 3 - hp
13/04/2007
Exame oftálmico I. Introdução ao exame oftálmico. Equipamento necessário e sua utilização. A oftalmoscopia directa e indirecta. Tonometria.Tipos de tonómetro. Goniolente. lâmpada de fenda. Protocolo de exame oftálmico. O teste de Schirmer I e II. O uso de fluoresceína, e rosa de bengala. Midriáticos, anestésicos tópicos.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 17 - Turma: 1,2 - hp
12/03/2007
Exame oftálmico I. Introdução ao exame oftálmico. Equipamento necessário e sua utilização. A oftalmoscopia directa e indirecta. Tonometria.Tipos de tonómetro. Goniolente. lâmpada de fenda. Protocolo de exame oftálmico. O teste de Schirmer I e II. O uso de fluoresceína, e rosa de bengala. Midriáticos, anestésicos tópicos.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 18 - Turma: 3 - hp
19/04/2007
Oftalmologia II. Exame do fundo do olho: descrição das estruturas a observar. Visualização em oftalmoscopia directa de algumas estruturas: - zona tapetal; - zona não-tapetal; - papila do nervo óptico; - vascularização.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 18 - Turma: 1,2 - hp
18/04/2007
Oftalmologia II. Exame do fundo do olho: descrição das estruturas a observar. Visualização em oftalmoscopia directa de algumas estruturas: - zona tapetal; - zona não-tapetal; - papila do nervo óptico; - vascularização.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 19 - Turma: 3 - hp
27/04/2007
Neoplasia mamária em gatas. Realização de radiografias torácicas: Discussão do prognóstico. Discussão da abordagem clínica no caso particular das neoplasias mamárias e opções terapêuticas.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 19 - Turma: 1,2 - hp
26/04/2007
Neoplasia mamária em gatas. Realização de radiografias torácicas: Discussão do prognóstico. Discussão da abordagem clínica no caso particular das neoplasias mamárias e opções terapêuticas.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 20 - Turma: 1,2 - hp
03/05/2007
Fluidoterapia - fundamentos. Cristalóides isotónicos (de reposição e de manutenção), hipotónicos e hipertónicos. Colóides - exemplos, indicações e contraindicações. Alterações hidroelectrolíticas e ácido base. Exercício prático de aplicação a casos clínicos.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 20 - Turma: 3 - hp
04/05/2007
Fluidoterapia - fundamentos. Cristalóides isotónicos (de reposição e de manutenção), hipotónicos e hipertónicos. Colóides - exemplos, indicações e contraindicações. Alterações hidroelectrolíticas e ácido base. Exercício prático de aplicação a casos clínicos.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 21 - Turma: 1,2 - hp
16/05/2007
As aulas práticas das turmas da manhã não se realizaram em virtude de visita de estudo no âmbito de outra disciplina, organizada por docente de outro Departamento e sem que tenham sido consultados os docentes da diciplina de Patologia e Clínica de Animais de Companhia.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 22 - Turma: 3 - hp
17/05/2007
Casos clínicos: -suspeita de epilepsia primária em cão; realização de exame de estado gerakl e neurológico. colheita de sangue para hematologia e bioquímica sérica. Discussão dos diagnósticos diferenciais, opções terapêuticas e prognóstico. - acompanhamento de cadela de 11 anos com hipotiroidismo. realização de exame clínico, de radiografias abdominais e ecografia abdominal. Colheita de sangue para hematologia, bioquímica e doseamento de T4.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 23 - Turma: 3 - hp
06/06/2007
# Análise do electrocardiograma - verificação do ritmo, frequência, estudo das ondas e intervalos em dois casos clínicos: * fibrilhação atrial com múltiplos complexos supraventriculares prematuros em paciente com endocardiose da mitral e insuficiência cardíaca congestiva; * alargamento do complexo QRS em paciente com hipertrofia do ventrículo esquerdo.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 24 - Turma: 1,2 - hp
14/06/2007
Análise do electrocardiograma - verificação do ritmo, frequência, estudo das ondas e intervalos em dois casos clínicos: * fibrilhação atrial com múltiplos complexos supraventriculares prematuros em paciente com endocardiose da mitral e insuficiência cardíaca congestiva; * alargamento do complexo QRS em paciente com hipertrofia do ventrículo esquerdo. * Extrassístoles ventriculares multiformes. Determinação do eixo eléctrico médio aos casos clínicos em estudo: método da derivação mmais isoeléctrica e de Tilley.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)
Aula: 24 - Turma: 3 - hp
14/06/2007
Análise do electrocardiograma - verificação do ritmo, frequência, estudo das ondas e intervalos em dois casos clínicos: * Extrassístoles ventriculares multiformes. Determinação do eixo eléctrico médio aos casos clínicos em estudo: método da derivação mmais isoeléctrica e de Tilley.
Inserido por: Joana Margarida Ferreira da Costa Reis | curso: Medicina Veterinária (cód: 102)